top of page

Ordinarius

O septeto vocal e percussivo Ordinarius oferece um vasto repertório, utilizando a voz como instrumento principal e a percussão como sua perfeita combinação. Os arranjos vocais originais e exclusivos são do maestro Augusto Ordine, diretor musical e fundador do grupo. Ritmos brasileiros como choro, baião, samba e ijexá são visitados pelo grupo, que é um moderno representante de uma cultura brasileira atemporal. 

 

Com o repertório do primeiro CD, considerado pelo site O Embrulhador como um dos melhores discos de música brasileira do ano de 2012, realizaram shows em diversos espaços no Brasil e na Alemanha. O show do segundo CD, Rio de Choro de 2015, viajou dezenas de cidades brasileiras nos anos seguintes, além de ter sido apresentado no festival Auvernier Jazz Festival, na Suíça, em 2017. Neste mesmo ano, o grupo foi convidado a gravar a abertura do Fantástico, em arranjo vocal original. 

 

Com o terceiro projeto, Notável, uma homenagem a Carmen Miranda, o grupo foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira como Melhor grupo de MPB e realizou shows no Brasil, Paraguai e Panamá. Ainda em 2018 o septeto ganhou o Prêmio Profissionais da Música na categoria Grupo Vocal. Em 2019 foi a vez de realizar turnês com repertórios variados por 10 diferentes cidades dos EUA e 23 no Japão, e participar de dois festivais na França (Choralies e Durance Luberon).  

 

O CD Paralelas, com repertório composto somente por composições de mulheres essenciais para a história da Música Popular Brasileira, foi gravado ao longo do ano de 2019 e inaugurou a campanha de financiamento coletivo recorrente das produções do grupo. Com a agenda de shows do Ordinarius cancelada por conta da pandemia, membros do grupo realizaram centenas de lives, alimentando a campanha de financiamento e possibilitando mais um projeto gravado ao longo do ano de 2020, com versões vocais e percussivas para clássicos da Bossa Nova, o CD Bossa 20, lançado em fevereiro de 2021 nas plataformas digitais.

 

Em 2021 o grupo mergulhou no universo de Aldir Blanc, compositor ímpar que, ao longo de sua carreira, passou por diversos gêneros e compôs sucessos em parcerias com importantes nomes da MPB. No projeto Blanc o septeto homenageia o compositor e segue no caminho de valorização da cultura popular brasileira ao visitar seu legado com o frescor característico do grupo. O álbum foi lançado no início de 2022 nas plataformas digitais com direito a clipes de todas as faixas no canal do grupo no YouTube.

 

Em 2022 a agenda do grupo foi retomada com shows do álbum Bossa 20 em Brasília, Rio de Janeiro, Ilhas Canárias (Espanha) e nos festivais Leipzig A Cappella (Alemanha) e Alfredo de Saint Malo (Panamá). A participação do septeto no World Choral Expo, em Lisboa, marcou a estreia do grupo em terras portuguesas. Enquanto os shows eram retomados pelo mundo, as produções seguiam com a gravação do álbum Pizindim, em homenagem a Pixinguinha.

No ano de 2023 o grupo ganhou o Prêmio Profissionais da Música na categoria Grupo Vocal pela segunda vez.  Neste mesmo ano, lançou o álbum Pizindim na abertura da temporada 2023 na Sala Cecília Meireles com um repertório apresentado também no Projeto Vozzes em Curitiba e em uma mini temporada na Caixa Cultural de Recife. Além disso, o Ordinarius tem também apresentado o show Paralelas, contemplado no edital SESC Pulsar, com turnê pelo Estado do Rio de Janeiro e relembrou o repertório de bossa nova no show Ordinarius en Bossa apresentado no festival Hola Río dentro da Casa de America, em Madri.

bottom of page